A imagem mostra um caminhão em uma rodovia realizando o transporte de algum tipo de material.

Você sabe quais são os tipos de frete existentes? Confira aqui

Quando se trata de envio de bens e pertences, há uma variedade de tipos de frete, seja para indivíduos ou qualquer negócio.

O transporte é regido por regras e regulamentos, dependendo dos materiais que estão sendo enviados. Desse modo, é importante observar fatores, como peso, distância entre origem e destino, modo de envio e taxas envolvidas, entre outros.

Reunimos neste artigo, algumas informações para ajudar você a planejar o transporte de seus produtos e saber selecionar a transportadora mais adequada. Continue a leitura e aproveite!

Quais são os tipos de frete?

O transporte envolve várias regras e os materiais que estão sendo enviados também influenciam no valor.  Por isso, as empresas precisam pesar suas opções para decidir que tipo de frete precisam e avaliar os custos associados.

CIF – Cost, Insurance and Freight

O CIF é  um tipo de acordo para o transporte, informando que o vendedor será responsável pelos itens até que chegue ao porto e seja reivindicado pelo comprador.

O custo total inclui o valor dos produtos, do seguro enquanto eles estão em trânsito e do envio para o porto. Como comprador, você está pagando ao vendedor para gerenciar todo o processo de envio, de porto em porto.

Caso o transporte seja responsabilidade do remetente ou vendedor, a Lei Complementar 87/96 estabelece que o frete deve ser incluído no cálculo do ICMS (Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços).

FOB – Free On Board

Neste tipo de frete, o valor dos tributos (ICMS, IPI, PIS e Cofins) é calculado separadamente. No entanto, algumas operações podem gerar créditos de ICMS, o que pode proporcionar economia de tributos.

O FOB é uma escola popular, já que proporciona aos compradores um pouco mais de controle sobre o processo, permitindo que eles usem um agente de carga ou outra solução de transporte de sua escolha.

Modalidades de contratação

O frete é a pedra angular para todo o seu processo de aquisição. As taxas e os termos descritos dentro deles ditam tudo, desde o preço que você paga para mover o produto até o efeito que ele tem no seu resultado.

1 – Normal

Geralmente, essa modalidade é utilizada por motoristas de caminhão autônomos e a mais comum. Além do contratado e do contratante, nenhuma outra parte está envolvida na prestação do serviço. Isso significa que, sem envolvimento de terceiros, o próprio prestador de serviços se encarrega da coleta, do transporte e da entrega.

2 – Subcontratação

Esta modalidade é usada por pequenas e grandes transportadoras. Entretanto, seu diferencial é a possibilidade de redução de custos e ampliação da cobertura, aumentando a capilaridade do serviço.

Por meio da subcontratação, a transportadora combina o serviço com o embarcador, mas delega o transporte para uma empresa parceira.

3 – Redespacho convencional

Nesta modalidade, o serviço pode ser realizado por mais de uma transportadora. Assim, a primeira faz a coleta no remetente e o redespacho do pedido através da segunda empresa de entregas.

A segunda, por sua vez, encarrega-se de levar a mercadoria até o cliente. Com essa parceria, a embarcadora tem mais possibilidades de ampliar sua área de cobertura e otimizar o transporte.

4 – Redespacho intermediário

Apesar de ser semelhante ao encaminhamento convencional, sua dinâmica implica a participação de mais empresas de transporte.

A transportadora responsável pelo frete atua como intermediária, pois não realiza a coleta inicial, transporte ou entrega ao destinatário.

Outra empresa de transporte realiza a coleta e a entrega da mercadoria em um determinado ponto. Depois disso, o redespacho intermediário é realizado por outra transportadora até o cliente, ou seja, o destino do pedido.

5 – Vinculado multimodal

O vinculado multimodal usa um ou mais métodos de envio para transportar as mercadorias até o destino. Dessa maneira, além do transporte rodoviário, pode ser necessária a utilização de outros meios, como o aéreo, o ferroviário e o hidroviário. Contudo, os documentos de transporte são emitidos separadamente para cada modo.

Tipos de carga

Quando se trata do transporte de cargas, as características do produto também podem afetar a forma como os serviços são entregues, os tipos de fretes, os custos e os tempos de entrega.

Carga fracionada

Neste tipo de carga, os produtos são transportados em pequenas remessas que partem do remetente em direção a diversos pontos de entrega e diferentes clientes. Neste contexto, o cálculo do frete considera o espaço ocupado no veículo, o peso e a distância, entre outros fatores.

Carga lotação

Quando as cargas ocupam quase todo o espaço (ou todo o espaço) de um veículo da transportadora, pode ser chamada de lotação. O caminhão sai do contratante (remetente) e segue, sem paradas, direto ao destinatário.

Tipos de transporte e Tipos de Frete

Independente dos tipos de frete e das cargas, elas podem ter os seguintes destinos:

  • Nacional – acontece quando há relações comerciais entre empresas no território brasileiro.
  • Internacional – ocorre no contexto de importação ou exportação e estão sujeitos a leis, documentações e processos específicos.

A escolha entre os tipos de frete é importante para os embarcadores, pois define a forma como será feito o transporte da carga e as regras que fazem parte dos procedimentos. Neste caso em particular, escolher o parceiro certo não é sobre quem é necessariamente o mais barato para trabalhar, mas quem vai lhe dar os melhores resultados.

O que você achou? Quer saber mais sobre o assunto? Recomendamos a leitura complementar de um artigo sobre contratação de frete. Acesse clicando neste link.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Scroll to top